Trabalho começou em 2019 e o primeiro levantamento sobre o sistema de gestão dos resíduos sólidos de Cuito, que fica a mais de 6 mil km do Brasil, apontou riscos ambientais e para a saúde humana em uma área de lixão.